sábado, 25 de novembro de 2017

Seus 55, e as vidas tantas que teremos

Fui eu que trouxe meu amor para sua casa Quando lá cheguei, ela nem parecia um lar Tudo era limpo, mas lotado de vazios
Que ecoavam fundo e me faziam chorar
Ali mais tarde, foi mudado de lugar
E mesmo triste, como filha, me doei a aproximar

Foi uma bênção que tocou seu coração
Te fez sentir como pode ser doce, te amar
E te refez um homem mais livre dos vícios, me permitindo contruir e respeitar.
Hoje te sinto indispensável nesta vida
Cada dia, mais vivo dentro de mim
E quero voltar ao teu abraço sem pressa na despedida
Um abraço forte e apertado, sem ter fim

Pai, meu amigo e meu amado, ter você é um presente porque sim!